Urubici

Clique no azul para ver filmes curtos de Cânion da Laranjeira (38 seg) e Funil (12 seg)

Havia algum tempo que pesquisava a região de Bom Jardim e Urubici. Conhecemos algumas coisas por lá, mas o Funil, Laranjeiras e outros cânions da região ainda não havia tido oportunidade de visitar.

Desde o início do ano planejava conhecer mas, por ser verão, não é muito aconselhável. E depois, toda essa situação do vírus, ficou mais difícil. Tudo estava fechado, quando de repente, o estado de Sta Catarina abriu as pousadas e os pontos turísticos. Aí, não deu outra.

Quem tá a fins de andar um pouco de moto? Como louco não falta, logo achei quem estava a fim de sair de casa.

Fomos então Eu (Wanzer), Soninha, Belo, Cel e Manolão.

Bora então.

Combinamos de sair na segunda feira dia 27-04. Assim, nos encontramos no primeiro posto da Br 116, logo após o Rodoanel. Tomamos café e saímos. Fizemos uma ótima viagem até o destino, Urubici. Subimos pela Br 282 por ser mais perto que subir pelo Rio do Rastro.

Chegamos, fomos direto até a pousada Luar da Serra. A Rebeca é a dona e uma pessoa muito prestativa. Pousada simples, mas limpinha, café da manhã gostoso, boa cama e estacionamento. É o que precisávamos.

Descarregamos e saímos para tomar um vinho e jantar. Bem, tomamos 2 boas garrafas e comemos peixe com batatas, muito bom. Depois fomos nos organizar e descansar, pois no outro dia tínhamos belos lugares para conhecer.

Pela manhã fomos fazer uns corres e depois pegamos um carro (alugamos) pois a RT do Belo não anda onde iríamos (estrada de terra). E lá fomos nós conhecer o espraiado e o alto do corvo (infelizmente fechado). Mas não perdemos a tarde. Fomos até Aiure, descendo o Corvo Branco e paramos para tomar um café. Que delicia. O café passado na hora é servido em uma térmica à vontade. Pegamos um queijo serrano e comemos, depois pedimos uma porção de peixe frito, muito gostoso. E ali estava nosso café da tarde. Continuamos nosso passeio e seguimos para a pousada.

A noite saímos para comer e tomar umas. Voltamos para descansar.

No outro dia, quarta feira, pegamos as motos e fomos até Bom Jardim. Lá tínhamos marcado com o guia Thiago pra fazer o Laranjeiras. E assim fomos até uma das fazendas que dá acesso ao cânion. O 4×4 chega até um ponto, depois uma caminhada curta até a borda. Lugar lindo. Lá curtimos o visual e depois de um tempo, já retornando, paramos em uma plantação de maçãs para colher (free). Uma mais deliciosa que a outra. Maçãs maduras no pé. Quando vc parte, dentro dela tem os cristais de açúcar, pois ficaram no pé amadurecendo, muito diferente das que comemos aqui, doce mesmo. Fizemos fotos, conversamos e fomos para o cânion da Ronda. De acesso fácil, fica perto do mirante ao lado da estação das eólicas. Dali saímos ate Bom Jardim, pegamos as motos, pois já era tardinha e sabíamos que nosso amigo Manolo logo chegaria. Aí, bora para Urubici.

Chegamos, guardamos as motos e fomos tomar uma cerveja artesanal e esperar nosso amigo. Este local vende produtos naturais (orgânicos) e pouco tem pra beliscar com cerveja. Mas, tinha castanha de caju, que comemos e depois a opção era milho seco Peruano (MAYS) ou ervilha seca com wasabi (raiz forte). Bom, vamos experimentar ervilhas, ok?

Peguei duas coloquei na boca. Meu… começou subir pelo nariz um desentope, kkk. Mas fiquei quieto. Meu amigo Amaral encheu a mão e colocou na boca. De repente, a Sônia olha e vê o cara chorando, as lagrimas caindo.

_ que foi Belo, ela perguntou.

_ Ah … coloquei um punhado disso aqui na boca e sobe tudo pelo nariz.

E limpava os olhos, só risadas.

Bom ai a brincadeira era ver quantas ele conseguia colocar na boca sem chorar. Foi uma piada, até o Manolo chegar e participar também, colocando 3 ervilhas.

Bom, nosso amigo havia chegado bem graças a Deus. Ficamos conversando, bebendo, rindo e ai se foram 5 cervejas artesanais embora.

Já anoitecia, fechamos a conta, fomos para a pousada e mais tarde saímos para jantar.

Fomos conhecer outro restaurante muito bom também. Tomamos cervejas, comemos truta, conversamos bastante, rimos pra caramba e depois voltamos para descansar, já que no dia seguinte tínhamos marcado com o Sr Miguel.

Chegou a quinta feira, dia de conhecer o Funil. Pegamos as motos, fomos para Bom Jardim nos encontrar com o guia, Sr Miguel, que é proprietário de uma das fazendas que dá acesso ao Funil.

Paramos no posto em Bom Jardim, local combinado, e o Sr Miguel veio nos buscar. As motos ficaram quietinhas. E lá fomos nós, de 4×4.

A entrada do Funil fica próxima ao Bom Jardim uns 3 km, ai entra na propriedade. São 7 km de terra, tranquilos, que dá pra fazer a pé em uma próxima oportunidade.

Quando vai se chegando próximo a borda, QUE COISA LINDA, ver as nuvens abaixo de vc como se estivesse em um voo. Inexplicável o que se sente. Ficar sentado ali olhando e a cada instante tudo muda, o que se viu não é mais igual, simplesmente lindo.

No Funil ficamos um bom tempo, depois saímos e fomos a um sítio onde as mulheres fazem queijo. Infelizmente não tinha sobrando, pois vendem para os hotéis e, como o turismo estava liberado, eles consomem bem. Então ficou só as fotos.

Depois o Sr Miguel nos deixou no posto para pegarmos as motos e fomos até Urubici.

Chegamos, pegamos o carro e fomos tentar conhecer o Alto do Corvo, o que também não deu, pois lá fecha o tempo e não compensa subir. Então vamos ver um por do sol. Certo? certo.

E fomos em um lugar lindo pra assistir e contemplar o astro se por, no Morro do Oderdeng, 1400 mts.

No caminho passamos por um pomar de caqui, paramos rapidinho pois tínhamos pouco tempo até o sol se pôr.

Quando o espetáculo terminou, descemos e adivinha… Paramos no pomar pra pegar uns caquis. O rapaz que cuida apareceu e perguntamos se ele nos vendia caqui. Sim. Quanto o quilo? 2,00 reais o quilo. Bom, pegamos um pouco só pra comer mesmo pois, de moto não dá pra trazer pra revender no CEASA, né?

Já era noitinha quando fomos para a pousada. Ao lado tem o Hotel Urubici Palace. Lá tem uma pizzaria. Era o que queríamos. Nem entramos na pousada. Sentamos lá e tomamos cerveja artesanal e comemos pizza cortada em aperitivo. Ficamos conversando, rindo, bebendo e comendo.

Depois fomos nos organizar, pois no outro dia era sexta e iniciaríamos o retorno, combinado pra fazer em duas pernas sem stress.

Saímos pelo mesmo caminho que chegamos, Serra do Panelão, já que pelo Rastro teria barreiras sanitárias e isso causaria transito.

Assim, seguimos ate Cajati, onde ficamos para pernoite. Ali Belo e Cel, que tinham compromisso, tocaram direto.

Fizemos o chek-in e marcamos que desceríamos em uma hora. E assim fomos comer uma pizza em um local próximo e tomar umas cervejas para hidratar, né?

No outro dia cedo (sábado), tomamos café e saímos. Era umas nove e pouco. Nossos amigos Pakito e ninguém mais que o Belo, de consciência pesada, pois tinha ido embora com nosso dinheiro do pedágio, voltou para pagar os mesmos.

Todos chegaram bem em suas casas e a vontade de viajar já está de volta. Mas, por hora, só a vontade.

Logo estaremos todos juntos novamente.

Ate a próxima.

2 respostas em “Urubici

  1. Delícia de passeio. Fotos maravilhosas.
    Parabéns aos nossos viajantes!!!
    Fiquei com inveja, mas vai passar junto com o corona virus.
    lkkkkkkk. Me aguarde

  2. Que legal! Nessa época de isolamento fazer um passeio de moto é tudo de bom, e ainda num lugar desses! Parabéns!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.